Escritora Cláudia de Villar

domingo, 2 de outubro de 2011

AFINAL, QUEM É CLÁUDIA DE VILLAR?

          CLÁUDIA DE VILLAR


           Nascida em Porto Alegre/RS aos cinco minutos do dia 11 de abril de 1972, Cláudia Oliveira de Villar é filha de Tânia Maria Santos de Oliveira e Geraldo Perla de Villar.  Cláudia tem uma irmã, Bianca Villar e dez lindas cachorrinhas. Apaixonada por animais e simpatizante da Causa Animal,  a escritora, a partir do momento ao qual decidiu colocar nos papéis as suas ideias, não teve como fugir de seu destino: escrever livros com personagens voltados aos cachorrinhos.  E assim surgiu o seu 1º livro pela Editora Manas: "Bola, sacola e escola".  Mas Cláudia não parou por aí. Ela continua escrevendo e tem outros animais como personagens de seus livros: burros, papagaios, sabiás, gatos, coelhos, peixes, cavalos e por aí vai.
          A escritora e oficineira cursou Magistério no colégio Nossa Senhora da Glória em POA/RS, formou-se em Letras, pela FAPA e é especialista em Pedagogia Gestora e Supervisão Escolar, pelo IERGS, além de vários cursos de atualização na área da Literatura Infantojuvenil. Atualmente, faz parte da equipe de colunistas do site Homo Literatus, atua como cronista e colunista do Jornal de Viamão/RS, tem uma coluna no site sobre Literatura e Educação, Literárias Mosqueteiras e assina também uma coluna no site Artistas Gaúchos, além de ser associada da AGES desde 2013.
          No início, ela apenas sonhava... Inventava amigos imagináveis/invisíveis, como o "Louquinho", o "Nonó" e a "Exibida" (há quem diga que havia uma tal de "vassoura"). Assim que aprendeu a ler, passou a "devorar" muitos livros. A sua primeira leitura foi "Pluft, o fantasminha", de Maria Clara Machado, em 1980 - presente de um amigo de seu pai.  Foi na 4ª série na escola Dr. Pacheco Prates - POA/RS, a partir de uma atividade escolar, que ela escreveu o seu primeiro livro e ilustrado por sua mãe. Esteve, em seguida, um pouco afastada das leituras, mas retornou quando ainda era uma adolescente e os livros voltaram a ser a sua companhia. Gostava tanto de ler e "dar pitacos" sobre as obras que lia que resolveu escrever também. E, a partir daí, nunca mais parou.
Saiba mais:  http://homoliteratus.com/fala-escritor-claudia-de-villar/
               


                                                                        
                                                                             

RESUMO DAS OBRAS

 

 O MISTÉRIO DO VENTO NEGRO

vol. I

1ª Edição: Imprensa Livre Editora - 2014
Prefácio: Vilto Reis
Ilustrações: Samir Grey


“Ao longe, ouve-se o som do vento, quebrando o silêncio da noite. O valente Gerônimo caminha por entre as cinzas daquele misterioso terreno. Ao abaixar-se, suas mãos tocam os dentes de um cadáver. Perto do cemitério, na praça, o cão e o cavalo observam tudo”.

Você é corajoso?
O que você faria se, sem querer, tocasse num cadáver?
Uma praça, duas figueiras, um cão, um cavalo, uma capela, um cemitério, uma escola, um livro, a disputa pelo amor de uma menina, colegas de turma e o vento.
O que esses elementos têm em comum?
MISTÉRIO.


Há muitos anos, em Old Belém, ocorreu um fato que, mesmo com o passar dos anos, ninguém esqueceu. Mais do que isso, foi um acontecimento misterioso que marcou tanto o lugarejo quanto os seus moradores para sempre. Gerônimo e Paulo são colegas da mesma turma e ambos estão disputando o amor de Helena. Mas essa disputa de amor entre os dois colegas de classe pela amada não será assim tão fácil. Pois entre eles há um grande mistério a ser desvendado e a menina quer descobrir tudo o que está por trás dos fatos misteriosos que ocorreram no passado e ainda existem no lugarejo. Qual dos dois meninos descobrirá a chave desse mistério e contará para a menina? Qual seria esse mistério? Você, que gosta de desvendar mistérios, está convidado a embarcar nessa primeira viagem (TALVEZ SEM VOLTA). Ah... E tem o vento... Um certo Vento Negro...
 O MISTÉRIO DO VENTO NEGRO traz, nesse primeiro volume, a narrativa juvenil de uma trilogia fantástica e instigante. Amor, ódio, vingança, dor, medo, coragem, rivalidade, fantasia, realidade e amizade dão alma ao corpo físico desse livro
Obs.: Narrativa juvenil fantástica baseada em fatos reais ocorridos na capital gaúcha, bairro Belém Velho (Praça de Belém).  

RAMBO, UM PEIXE NO FANDANGO

“Quando eu tinha cinco anos, minha mãe sempre falava que a felicidade era essencial na vida. Quando estava na escola eles me perguntaram o que eu gostaria de ser quando crescer. Escrevi: “FELIZ”. Eles me disseram que eu não tinha entendido a tarefa, e eu disse a eles que eles não tinham entendido a vida.”
Chico Xavier

A obra

Trecho da obra:
“(...) A amizade é uma estrada muito sensível e de mão dupla. Se a uma fica congestionada, se há algum “acidente” numa mão, a outra não consegue seguir em frente sozinha, vai ficando parada... (...)”.

César é um menino que vive sozinho e enfrenta um dilema: quer entrar para a escolinha de futebol, mas a família quer que ele aprenda a dançar fandango. O desejo do menino é poder ter um amigo para poder dividir os seus anseios e seus sonhos... Rambo é um peixe que deseja ser adotado por uma família. Seu medo é virar um "peixe frito". Por força do destino essas duas vidas se encontram. O que acontecerá na vida de ambos? Serão amigos?

Até onde podemos agir em nome de uma amizade? A amizade verdadeira existe? Ou é apenas um sonho... Uma fantasia?
Você tem amigos verdadeiros? 
Você é amigo de alguém?  
Para você, o que significa ser feliz?
Leia, descubra e viva essa fantasia
 
Capa e ilustrações: Rafael Severo Guimarães
Prefácio: Desirée Perrone
Editora: Manas
1ª edição - 2013


          MANO E A BONECA DE PANO


http://www.livrariacultura.com.br/scripts/cultura/externo/index.asp?id_link=11809&destino=/scripts/resenha/resenha.asp?nitem=5168760
                                              
Um menino... Uma menina...   Um cão... E uma boneca.
Até onde vai a coragem?
Até onde vai o medo?
Até onde vai a fantasia?
Por onde passa a vontade?
Qual é o limite de uma pessoa?
Qual é a sua opinião?
A vida está em suas mãos. Faça as escolhas certas!

A partir desses questionamentos se dará o desenrolar dessa obra juvenil. Tomás, personagem principal, traz para a ficção temas atuais e, muitas vezes, de difícil abordagem tanto na escola quanto em casa: preconceito e discriminação.
A narrativa se passa na cidade, as personagens fazem parte da vida real de jovens meninos e meninas. E a problemática? Bem, se o preconceito e a discriminação estão aí, no dia-a-dia, então me responda como trabalhar o preconceito com um cadeirante? E uma menina cega? Como conviver com essas duas realidades tanto em casa quanto na escola? Quais são as dúvidas, os sentimentos, as dores e as amizades sentidas e vividas por essas pessoas? E o professor? De que forma abordar esse tema em sala de aula? Quais livros trabalhar?
Eis que MANO E A BONECA DE PANO vem para auxiliar na área pedagógica, sem deixar de lado o fato de ser uma leitura de fácil compreensão e com uma linguagem que vai ao encontro com a linguagem juvenil.
Eis o convite: leia, reflita e divirta-se!

Capa: Patrícia Langlois
Prefácio: Vilto Reis 
Editora: Manas
1ª edição - 2013

 APRENDENDO A VIVER E ENSINANDO A SONHAR


Aprendendo a viver e ensinando a sonhar é uma obra fictícia. Irreal. Porém, a leitura deste livro irá provocar o leitor. Irá tirá-lo do seu lugar real e confortável no mundo. A obra aborda temas como a família, a culpa, o envelhecimento, as despedidas, a saudade, a morte e a vida.
A travessia da vida.
As lembranças... Elas surgem de repente e nos transportam para um lugar distante e flutuante. As lembranças e os livros são passaportes para muitas viagens. Embarque nesta viagem inesquecível e enriquecedora.
 Uma viagem dentro de si mesmo.
 Uma viagem surpreendente.
"Embora ninguém possa voltar atrás e fazer um novo começo, qualquer um pode começar agora a fazer um novo fim". Chico Xavier.

1ª edição: 2012 - Editora MANAS